Loading...

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Gênero narrativo e Descritivo

O texto descritivo é como uma fotografia em palavras.É pela descrição que conhecemos lugares,pessoas,cheiros...

"Na descrição não há sucessão de acontecimentos no tempo, de sorte que não haverá transformações de estado da pessoa, coisa ou ambiente que está sendo descrito diferentemente da narração, mas sim a apresentação pura e simples do estado do ser descrito em um determinado momento.
A descrição se caracteriza por ser o retrato de pessoas, objetos ou cenas. Para produzir o retrato de um ser, de um objeto ou de uma cena, podemos utilizar a linguagem não-verbal, como no caso das fotos, pinturas e gravuras, ou a linguagem verbal (oral ou escrita). A utilização de uma dessas linguagens não exclui necessariamente a outra: pense, por exemplo, nas fotos ou ilustrações com legendas, em que a linguagem verbal é utilizada como complemento da linguagem não-verbal.

Pode-se entender a descrição como um tipo de texto em que, por meio da enumeração de detalhes e da relação de informações, dados e características, vai-se construindo a imagem  daquilo que se pretende descrever.
A descrição, entretanto, não se resume a uma enumeração pura e simples.  É essencial revelar também traços distintivos, ou seja, aquilo que distingue o objeto descrito dos demais.

Uma observação
Dificilmente você encontrará um texto exclusivamente descrito (isso ocorre em catálogos, manuais e demais textos instrucionais). O mais comum é haver trechos descritivos inseridos em textos narrativos e dissertativos. Em romances, por exemplo, que são textos narrativos por excelência, você pode perceber várias passagens descritivas, tanto de personagens como de ambientes.

O Ponto de Vista
O Ponto de vista é a posição que escolhemos para melhor observar o ser ou o objeto que vamos descrever. No entanto, nas descrições, além da posição física, é fundamental a atitude, ou seja, a predisposição psicológica que temos com relação àquilo que vamos descrever. o ponto de vista (físico e psicológico) que adotarmos acabará determinando os recursos expressivos (vocabulário, figuras, tipo de frase) que utilizaremos na descrição.
O ponto de vista físico vai determinar a ordem da apresentação dos detalhes, que devem ser apresentados progressivamente
Na descrição de uma pessoa, por exemplo, podemos, inicialmente, passar uma visão geral e depois, aproximando-se dela, a visão dos detalhes: como são seus olhos, seu nariz, sua boca, seu sorriso, o que esse sorriso revela (inquietação, ironia, desprezo, desespero...), etc.
Na descrição de objetos, é importante que, além da imagem visual, sejam transmitidas ao leitor outras referências sensoriais, como as táteis (o objeto é liso ou áspero?), as auditivas (o som que ele emite é grave ou agudo?), as olfativas (o objeto exala algum cheiro?). 
A descrição de paisagens (uma planície, uma praia, por exemplo) ou de ambientes (como uma sala, um escritório) -- as cenas -- também não devem se limitar a uma visão geral. É preciso ressaltar seus detalhes, e isso não é percebido apenas pela visão. Certamente, numa paisagem ou ambiente haverá ruídos, sensações térmicas, cheiros, que deverão ser transmitidos ao leitor, evitando que a descrição se transforme numa fria e pouco expressiva fotografia. Também poderão integrar a cena pessoas, vultos, animais ou coisas, que lhe dão vida. É, portanto, fundamental destocar esses elementos. "


retirado do site:http://www.brasilescola.com/redacao/desc…

Exemplo:Um cilindro de madeira, de cor preta, medindo aproximadamente 17,5cm. de comprimento po 0,7cm. de diâmetro, envolve um cilindro menor, de grafite, de mesmo comprimento, porém de 0,15cm. de diâmetro
De uma das extremidades, foi retirada madeira, formando-se um cone, cujo ápice é uma fina ponta de grafite". 
Outro exemplo:"Abriu as venezianas e ficou a olhar para fora. Na frente alargava-se a praça, com o edifício vermelho da Prefeitura, ao centro. Do lado dirito ficava o quiosque, quase oculto nas sombras do denso arvoredo; ao redor do chafariz, onde a samaritana deitava um filete d'água no tanque circular, arregimentavam-se geometricamente os canteiros de rosas vermelhas e brancas, de cravos, de azáleas, de girassóis e violetas". ("Um Rio Imita O Reno", - Vianna Moog). 

O texto narrativo
é uma "historinha",é o relato de fatos e acontecimentos que ocorrem numa sequencia de tempo.Uma narração possui:
a) enredo(a história);
b) personagens: principal (is) e secundário(s)(seres que participam da história);
c) NARRADOR: participativo ou observador (quem conta a história);
d)tempo(quando a história acontece)
e)cenário,lugar e espaço.
Há sub textos na narração:
-Novela;
-Conto;
-Fábulas;
-Romance...
O narrador pode ser em 1ª pessoa,o chamado narrador personagem.Exemplo:
Estava cansado daquela aula,quando Durvalina chegou em mim e disse:
-Tudo bem?
-Ah!Sim...-respondi desconfiado.
Neste exemplo você percebe que o narrador participa do conto.
Já o narrador em 3ª pessoa é o narrador-observador.Exemplo:
"Eusébia chorava enquanto Josefa não chegava.Ela queria falar com ela urgente."
Neste caso o narrador observa,o narrador-observador pode ser chamado de narrador-onisciente quando ele narra fatos internos da personagem.Exemplo:Epaminondas pensou em se matar quando viu Eusébia a caminhar.

Crédito: http://br.answers.yahoo.com



Nenhum comentário:

Postar um comentário